23 de ago de 2011

Servidão

Servidão - 70 x 100 cm

Meu processo de pintura normalmente parte de esboços ou estudos num caderno, que são então transpostos à tela em branco com carvão ou lápis como referência.
Porém, nem sempre é assim...
Neste caso, não houve estudo nem esboço: comecei a pintar aleatoriamente, sem saber onde iria parar. Logo, um traço de cor sugere um músculo, outro uma perna, e assim, ligando um elemento aqui, outro ali, vamos descobrindo uma imagem totalmente inesperada, inclusive para o pintor.
Neste caso, acabei chegando nesta figura, de joelhos, subjugada, contra uma terra devastada e sob um céu bem dramático.
No fim, achei irônico que um processo liberto de planejamento tenha levado à um retrato da servidão.

-----------------------------

My painting process usually starts with sketches or studies, which are then transposed to a blank canvas with charcoal or pencil for reference.
But is not always like that ...
In this case, there was no study or sketch: I started to paint at random, without knowing where it would stop. Thus, a trace of color suggests a muscle, another a leg, so connecting an element here and there, we discover a completely unexpected image, even to the painter.
In this case, I ended up coming in this figure, on his knees, overwhelmed, against a wasteland under a very dramatic sky.
In the end, I found it kind of ironic that a free planning process has led to a picture of bondage.

Um comentário:

  1. As cores foram muito bem escolhidas.
    Como a maioria das pinturas, cada um consegue interpretar de uma maneira.
    Eu chamaria de resignação...

    ResponderExcluir