3 de fev de 2012

Queimada

Queimada - xilogravura - 13,5 x 17 cm

Queimadas são prática comum no Brasil, e tem, por alvo – e combustível – a madeira.Ao retratar uma queimada numa gravura feita justamente em madeira, estamos de certa forma subvertendo esta relação: o fogo, que até então era uma força de destruição, tornou-se tema criativo, e a madeira, que era o alvo, tornou-se parte do processo.
Desta forma, ironicamente, não mais a queimada destrói a madeira, mas sim a madeira possibilita que a queimada seja retratada de forma perene. No lugar da destruição, criação.
E, para consagrar esta criação, temos uma ave, triunfante por ter também sobrevivido. É evidente que está numa situação precária, sobre um tronco queimado numa terra devastada. Mas esse cenário desolador só aumenta o mérito da conquista da vida sobre a morte.
As queimadas destroem a vegetação nativa, poluem o ar, matam animais silvestres, na maioria das vezes injustificadamente. E, não raro, acabam fora de controle se voltando contra aqueles que as iniciariam. Não teria o pássaro, acostumado a ver tudo de cima, uma certa ironia no olhar?...

-------------------------

Fires are a common practice in Brazil, and aims at - and fuels by - wood. When portraiting a fire with a woodcut, we are somehow undermining this relationship: the fire, which by then was a force of destruction, became creative theme, and wood, which was the target, became part of the process.
Thus, ironically, no longer the burning destroys the wood, but the wood enables the fire to be portraited in a perennial way.
And, to consecrate this establishment, we have a bird, for he has triumphantly survived. Clearly that is a precarious position on a burned log in a wasteland. But this bleak scenario only increases the merit of the conquest of life over death.
The fires destroy native vegetation, pollute the air, kill wildlife, mostly unjustified. And often, out of control, turns against those who set fire to the nature. Does the bird, used to seeing everything from above, hold a certain irony in his eyes? ...

Nenhum comentário:

Postar um comentário