2 de mar de 2012

Pin-hole

 
Uma técnica hoje muito utilizada é o "pin-hole", onde a foto é captada não numa máquina, mas sim numa lata com um minúsculo orifício feito com um alfinete (daí o nome em inglês), pelo qual passa a luz que sensibiliza o filme. É, na verdade, o "ancestral" da máquina fotográfica


 É uma técnica de difícil controle e que exige muita experiência ou um laboratório próximo pois fica difícil fazer fotometria, ou seja, saber quanto tempo deve-se deixar o filme exposto à luz. Se ficar muito tempo exposto, velará. Se ficar pouco, não irá gravar nada.


Estes fotogramas, despretensiosos, foram feitos em 2004, nos arredores do antigo Instituto de Artes da UNESP, na época localizado no Ipiranga.


-----------------------------

A technique widely used today is the "pin-hole" where the picture is not captured in a machine, but on a tin with a tiny hole made with a needle, through which passes the light that touches the movie. It is, indeed, the "ancestor" of the camera.
This technique is difficult to control and requires a lot of experience or a laboratory next to you, because it is difficult to find the correct exposure, ie, how long you should leave the film exposed to light. If you stay too long, it will be all black. If you get too short, it will not record anything.
These frames, unpretentious, were made in 2004 around the old Art Institute of UNESP, then located in Ipiranga, in São Paulo, Brasil.

Nenhum comentário:

Postar um comentário