31 de mar de 2013

Convite para exposição "Olhos de Pedra"

Sábado dia 06/04 a partir das 09h terá a abertura de minha exposição de xilogravuras!
Será no TOTE Espaço Cultural, em SOusas, e às 11:00h terá um bate-papo comigo.
Esta exposição faz parte do SP ESTAMPA, e contei com o apoio da Lukas Do Brasil!
No mesmo espaço teremos também a mostra "edição#01", com gravuras em metal de artistas do TOTE Espaço Cultural.




Abaixo, o texto de abertura do Catálogo, de autoria de Ulysses Boscolo, excepcional artista e, espero, grande amigo:

"As figuras do Globo Ocular"

Sei que é bem difícil gravar.

As mãos tremem no contorno de uma simples noz, na circunferência de uma cabeça, numa alusão ao sol e a lua. É bom percebermos na superfície negra um buraco semelhante a um globo ocular, onde o brilho do papel surge na vontade primitiva de fazer vales e árvores, dragões e máscaras entre as matrizes.

A gravação é um desenho que nasce pela força.

Por vezes a força de uma criança é despertada no coração de um adulto, que entalhe seus monstros em pescarias noturnas.

Todos os que se aventuram pela Arte da Gravura sentem esse calafrio, um delicado pêndulo entre a precisão e a imprecisão na madeira. O aço força a entrada da figura, rompendo as fibras, empurrando a resistência do lenho no desejo de ver no desbaste a realidade. O que era leve torna-se pesado. O que era móvel (e isso depende do artista) se petrifica.

Por técnicas diretas, goivas e formões constroem valas e sulcos: nascentes de rios onde dezenas de figuras vão beber (sozinhas) nas margens em que as sombras respiram as mãos do gravador.

As coisas surgem de repente nos olhos dos muros da resistência.

As figuras de Renato Rea caminham duras no corpo de sua fantasia. Caminham só, correm só e se perdem na noite.

São pessoas (coisas que andam pela cidade?) que surgem estranhas e disformes em lugares de confinamento.

Mas nem sempre.

Podemos reconstruir a trajetória de algumas delas como uma história em quadrinhos. A sensação da noite entre pedaços de seres que desaparecem com a luz. Um ouriço que passeia devagar entre as margens, fechando com suas patas os olhos das pedras do passado e do futuro.

Ulysses Boscolo, noite quente de 18 de fevereiro de 2013."

Estão todos convidados!

Nenhum comentário:

Postar um comentário